domingo, 9 de outubro de 2016

Pastor Miranda anuncia que 2020 a Assembleia de Deus de Mossoró elegerá um vereador


Presidente da Assembleia de Deus de Mossoró declara que “desunião” impediu evangélicos de elegerem um vereador.
Dizendo que a Assembleia de Deus contabiliza 15 mil membros, Francisco Cicero de Miranda considera que não eleger nenhum vereador foi uma página negra
“Página negra”.Foi assim, que o pastor, Francisco Cícero de Miranda, presidente da Igreja Assembleia de Deus, de Mossoró-RN, definiu a não-eleição de nenhum vereador do segmento evangélico à Câmara Municipal, nas eleições de 2016.
A posição do pastor Miranda, foi externada durante o tradicional culto de doutrina na noite desta sexta-feira, 7, às 19h30, no templo sede e com transmissão ao vivo pela Rádio Libertadora Mossoroense (AM 1.430 khz) e pela TV AD – na TV Cabo Mossoró.

O líder da AD de Mossoró e Região fez uma avaliação sobre o processo eleitoral mossoroense, no dia 2 de outubro, especialmente, no que concerne ao pleito proporcional.

Inicialmente, o pastor Miranda, revelou que, um dia depois das convenções partidárias, concluiu que em face do lançamento de dezenas de candidatos evangélicos, a Assembleia de Deus não elegeria nenhum representante para o Poder Legislativo da cidade.


– Então, decidi chamar em meu gabinete os nossos candidatos a vereador, para pedir a união de todos, para ver se elegeríamos um vereador -, declarou.

O primeiro candidato chamado ao gabinete do pastor foi o ex-vereador Daniel Gomes, do PSD. “E Daniel Gomes, disse que retiraria sua candidatura em nome da união”, lembrou o pastor presidente da Assembleia de Deus de Mossoró.

Todavia, Miranda disse que foi dissuadido de sua missão, ao conversar com um segundo candidato – nome não revelado. “Ele me disse que estava eleito, que teria quatro mil votos, pois tinha o apoio de um bocado de autoridades”, emendou.

DESUNIÃO – Para o pastor Miranda, mesmo os cerca de 35 candidatos a vereador, que são membros da Assembleia de Deus tendo contabilizado cerca de 9 mil votos, nenhum conseguiu de eleger.

– Isso foi à desunião -, reconheceu, Miranda, considerando que isso foi uma página negra na história da Assembleia de Deus de Mossoró, que conta com cerca de 15 mil membros. “Tem alguma coisa errada aí”, afirmou o experiente pastor.

CAMPANHA – Diante do que definiu como desunião que se transformou em página negra, o pastor Miranda, fez um anúncio aos membros da Assembleia de Deus de Mossoró.

– Se em 2020 eu estiver vivo e se ainda for pastor dessa igreja, nós vamos eleger um vereador -, declarou.

O pastor Miranda avisou que, como durante o período eleitoral não pode pedir voto, então, já começou a fazer campanha desde a última quarta-feira, quando deu o mesmo aviso em uma das congregações.

Para provar que não irá lançar um candidato a vereador, para perder, ele contabiliza que, como em 2020 a Assembleia de Deus de Mossoró, terá 250 congregações – hoje já são 205 -, ele está pedindo apenas 10 votos de cada uma.


Encerrando, o pastor Miranda, lamentou: “Isso foi uma página negra e que só poderá ser desfeita em 2020”. Até lá, assegura o líder da AD, estará em permanente campanha.

O nome do candidato?
Será escolhido no momento oportuno.
Fonte: Blog do Carlos Skarlack