quarta-feira, 4 de maio de 2016

Uvas no deserto. Oséias. 9 -10


Marlon Araújo

O encontro de DEUS com Israel se deu no deserto; o SENHOR mesmo afirma: Eu te conheci no deserto em terra muito seca; Os 13-5.
O livro do profeta Oséias começa com uma história muito estranha onde DEUS ordena que ele case com uma prostituta e tenha filhos de prostituição; o nome do 3º filho foi Lo-Ami que significa não é meu povo; apesar dessa traição espiritual, DEUS não abandona Israel e diz que o atraiu com cordas de amor, (Os 11-4) ainda que sejamos infiéis ele permanece fiel.

O livro de Oséias é o 2º livro que eu mais gosto da Bíblia, e o capítulo 11 é o capítulo que eu mais gosto de todos os 1.189 capítulos que contém a Palavra de DEUS.

Você pode achar esse livro polêmico, mais quando você encontrar uma polêmica na Palavra de DEUS, você estude para encontra quem começou a polêmica, porque a Palavra tem a sua interpretação simbólica, literal e figurada; aqui a linguagem é totalmente literal, ou seja aconteceu mesmo, e quem começou essa polêmica foi o irmão santo Agostinho, que teve uma vida promíscua e devassa, mais quando se converteu veio com essa ideia, falando que esse livro era uma alegoria, mais a prova desse livro é os filhos do profeta, não existe filho gerado em um ventre que seja figurado.
A narrativa do texto em destaque é do próprio DEUS, expressando sua alegria no 1º encontro com Israel, não havia méritos para que Israel fosse escolhidos: Tão somente o SENHOR tomou prazer em teus pais para os amar. Dt 10-15.

O encontro de JESUS conosco, não foi diferente, DEUS é Israel saíram marcados no 1º encontro; DEUS alegre por haver encontrado uvas no deserto e Israel marcado na coxa, JESUS saiu marcado no calvário e Paulo representando a Igreja diz: Eu trago no meu corpo as marcas de CRISTO. Gl 6-17.
Quando DEUS olha para este mundo cheio de podridão e pecados, não vê nada que lhe agrade, no entanto, quando olha para a sua Igreja diz: Quem é esta que sobe do deserto. Ct 3-6.

Em meio á sequidão do deserto a Igreja é vista pelo Noivo como um Jardim fechado. Ct 4-12.
Quando JESUS olha para sua Igreja e vê obediência, se alegra como quem acha uvas no deserto.
Quando JESUS olha para sua noiva e vê santidade, se alegra como quem acha uvas no deserto.
Quando JESUS olha para sua noiva e vê AMOR, se alegra como quem acha uvas no deserto.
Sejam quais forem as lutas, seja como uvas no deserto, mesmo diante das dificuldades produza novos frutos.

É muito fácil se uvas no palácio, difícil é ser uvas no deserto e fazer a diferença!
Ao ser espremido no Getsêmani, JESUS com sua a angústia trouxe a alegria aos homens, quando também nós estamos sendo provado, é para nós produzimos uvas nesse deserto e gerar o vinho que alegra a DEUS!